CDC #102 – Halo e Sprockets

Início/Leia!/Caverna do Caruso/CDC #102 – Halo e Sprockets
CDC #102 - Halo e Sprockets

Imagina uma série de TV dos anos 90, onde uma mocinha divide apartamento com um anjo e um robô senciente! Essa é a premissa da excelente Halo & Sprockets, que se aproveita dos personagens para discutir temas metafísicos e existenciais, sempre com muito humor (algo que costuma faltar na hora de falar de metafísica…)!

Mas antes de abordar da revista em si, faço questão de aborrecer a todos com os detalhes pelos quais essa obscura preciosidade chegou até a mim! (Lembrando que você pode pular esse parágrafo para o seguinte numa boa, não ficarei chateado). Muito bem, eu estava em Paris (“hummmmmm, Parissss!” – impossível dizer “eu estava em Paris” sem imaginar uma vozinha te criticando e dizendo “nossa que chique” com tom de ironia), passeando pelo Quartier Latin, que é o bairro com mais sebos por metro quadrado da cidade do amor (humm, ok, não tão chique assim), entrando de loja em loja. Eu pareço ter um faro para essas coisas. E só para essas coisas aparentemente, porque um dos sebos tinha um cheiro horroroso de bacalhau que não me afastou nem um pouco de minha busca (já minha mulher ficou do lado de fora, pois o faro normal dela funciona muito bem, obrigado). Parecia que eu estava numa busca espiritual sei lá do quê, porque no terceiro andar (o cheiro ficava só no segundo, graças a deus) tinha uma área só de quadrinhos franceses. Como eu não sei ler francês muito bem, continuei minha investigação e no fundo desse andar tinha uma estante com algumas revistas soltas da Marvel, publicadas na França nos anos 90. Atrás dessas revistas (que também estavam em francês) tinha uma caixa… uma caixa só de títulos em inglês e um desses títulos era o encadernado Halo & Sprockets, que eu nunca tinha visto, nem ouvido falar em momento nenhum da minha vida. Dei uma folheada, sentado no chão ali mesmo, e me encantei. Até porque só custava só três euros!

E foi assim que eu acabei fazendo sexo no siena com três canadenses e um belga (brincadeira, era só pra deixar quem pulou o parágrafo curioso…).

CDC #102 - Halo e Sprockets

Com um traço muito simples, com cara de livro infantil, Kerry Callen (autor da revista, é bom guardar esse nome, vai facilitar a sua busca) usa esses três personagens em pequenos esquetes, como se fossem pequenos episódios de desenho animado, para terem as discussões mais loucas e variadas, sempre com a mulher no meio, fazendo o ponto de equilíbrio entre a frieza do robô e o espiritualismo do anjo. A minha preferida é a discussão sobre o que é otimismo através do clássico exemplo do “copo meio cheio”. Nem o Robô nem o anjo conseguem entender esse contexto. Para o Robô a questão é simples: se você encheu o copo e parou na metade, ele é meio cheio. Se ele estava cheio e você esvaziou até a metade, ele é meio vazio (nunca tinha pensado nisso antes!). E para o Anjo ele é meio cheio e meio vazio ao mesmo tempo, impossível escolher um só, pois são complementares, como ying e yang (também nunca tinha pensado nisso antes!). Como a discussão não tem fim, normalmente termina com a moça se irritando com os dois e saindo pra dançar (que é o que eu faria também).

Essa foi uma descoberta muito obscura, que me divertiu bastante e é um imenso prazer compartilhá-la, para tirá-la da obscuridade! É por causa de quadrinhos assim que eu fiz essa coluna!

Vamos às vantagens e desvantagens:

Tô Lendovantagens
  • Como se trata de uma série de pequenas histórias fechadas, você não precisa ter um compromisso grande. Pode ler só uma e voltar as suas obrigações rapidamente.
  • Leitura muito fluida e divertida. Ficava torcendo pra não acabar.
  • Muito engraçado também! Sei que a discussão do copo vazio não pareceu hilária, mas confia em mim, super é!!
  • Minha mulher amou! Leu tudo no vôo da volta! Feito raro, uma leitura prender a atenção dela assim, ainda mais durante o vôo, quando ela costuma ficar rezando desesperada, olhando pela janela e segurando o meu braço com toda força, como se isso fosse fazer alguma diferença.
Tô Lendodesvantagens
  • Só em inglês (essa aí, nem em francês, mon ami!)
  • Preto e branco (sempre digo que isso não é desvantagem, mas nesse caso eu acho que uma corzinha iria dar uma “encorpada” na revista. Ela fica com muita cara de livro pra colorir sem as cores, sabe?)
  • Cuidado se for comprar on-line: eu fiquei tão enlouquecido com essa revista, que imediatamente fui atrás de outros volumes! Não é que eu encontrei? Encontrei, mas caí na pegadinha dos formatos diferentes. Meu segundo volume é no formato livro enquanto o meu primeiro é no formato americano, atacando meu TOC terrivelmente!!

Espero que essa seja uma descoberta interessante para você, como foi pra mim! Mas me diga aqui: se você fosse fazer uma série dos anos 90 com duas pessoas improváveis dividindo apartamento, quais seriam? Lembrando que se nosso ponto de partida é um ajo e um robô, vale tudo na sua sugestão!

No mais, até a próxima e boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC #102 - Halo e Sprockets
CDC #102 - Halo e Sprockets
2018-09-11T18:06:52+00:00 29 de agosto de 2018|10 Comentários
  • Ricardo Varotto

    Parece ser bem legal. E essa sua história de como encontrou a revista? Parecia até o destino te levando à espada presa na rocha. Você falou que é tudo em P&B, mas suas imagens de exemplo são todas coloridas. Como é isso? As revistas são em P&B e os formatos livro são coloridos? Conhece alguma com um anjo e um demônio roommates?

    • Então, os meus encadernados são P&B. Eu imagino que essas imagens sejam tiradas da webcomic…
      Não conheço nenhuma com anjo e demônio roomate, mas conheço uma de um cara que conversa com um anjinho que fuma charuto e mata demônios que só ele vê, serve? Tudo isso ocorre num ambiente de escritório, chama KILLER OF DEMONS, foi tema de uma das primeiras cavernas por aqui, acho que 8 ou 7. É muito bom, vale dar uma olhada!

      • Ricardo Varotto

        Vou conferir.

    • Bruno Messias

      Pois é, dessa vez o “preto e branco” virou desvantagem mesmo… porque as páginas coloridas ali em cima são bem bonitas!

  • Bruno Messias

    Engraçado como o faro de quadrimaníaco funciona. Estava passeando com minha esposa em Fortaleza (não é Paris, mas é show!), quando seguindo meu nariz descobri uma exposição muito massa da carreira do Ziraldo, focando na produção da Turma do Pererê. É meio um sexto sentido, mesmo.

    Essa revista comprova a teoria dos MDM: dá pra fazer qualquer tipo de história com o tema “dividindo um apartamento”.

    • Fico feliz em saber que outros colegas possuem o mesmo poder mutante que eu! Mal vejo a hora de abrirem uma escola para que possamos aprender a controlar as nossas habilidades e proteger um mundo que nos odeia…

      • Bruno Messias

        Hahaha! O mundo que nos odeia seria quem? O pessoal que quer o fim do bloco de quadrinhos no Podcrastinadores?

        • ELES MESMOS

          • Roberto Hunger Junior

            #blocodequadrinhosforever