CdC #10 – XIII

CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance

Olha… eu não dava nada por essa revista. Essa é uma daquelas que você folheia algumas vezes e bota de volta rapidamente no lugar. Parece indicação de leitura do seu avô ou do seu pai, sabe? Mas, vale o investimento, confia em mim!

XIII é um álbum europeu escrito por Jean Van Hamme e desenhado por William Vance. A trama conta a história de um homem amnésico que aparece numa praia com uma tatuagem no pescoço do número 13 em algarismos romanos. Ele é acolhido por um casal idoso, tipo Martha e Jonathan Kent, e tenta reestabelecer a sua vida, criando uma nova identidade. Porém isso dura pouco, porque ele é logo perseguido por mercenários que querem a sua morte – sem ele nem ao menos saber por que. O enredo segue em um ritmo non stop, com o protagonista tentando descobrir sua identidade ao mesmo tempo que várias entidades – criminosas e governamentais – tentam descobrir seu paradeiro. Tudo vai escalonando até alcançar um nível de conspiração global, sem nunca perder o realismo.

CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance

Qualquer semelhança com Identidade Bourne não é mera coincidência: o quadrinho e o filme têm a mesma pedra de roseta, foram inspirados pelo mesmo livro. Então se você curtiu o enredo de Identidade Bourne, pode ter certeza de que você vai se deliciar viver na pele de XIII por meses a fio.

Aliás, a arte do William Vance é tão impressionante e cheia de detalhes, que te faz acreditar que você está nos lugares que ele propõe estar. O mesmo acontece com a caracterização delicada das pessoas, desde suas feições, até seus estilos particulares de roupa e cabelo, que ajudam também a caracterizar toda uma época. Um dos capítulos, que se passa numa pequena cidade na neve, é tão bem retratado, que me deixou até hoje com vontade de esquiar.

A história e os diálogos tem ares de filmes de conspiração e espionagem presidencial dos anos 70/80. Algo do tipo Quebra de Sigilo (Sneakers) e Todos os Homens do Presidente (aquele sobre Watergate, lembra?), Inclusive, chega a dar uma leve impressão de que o Robert Redford vai aparecer a qualquer momento na revista.

Alguns motivos para aceitar minha palavra e ler XIII o quanto antes:

Tô Lendovantagens
  • É quadrinho europeu. Não importa o que você esteja lendo, “quadrinho europeu” sempre soa mais culto que “quadrinho de super-heróis”.
  • É uma leitura que respeita a inteligência do leitor. Ele não te entrega as coisas de mão beijada, nem fica over-explicando as coisas. É bom você estar ligado, para acompanhar a históra.
  • Foi publicado no Brasil pela Panini! Saiu aqui de 1 a 9, cada edição contendo dois livros da edição original europeia. A única exceção é o volume 7, que equivale somente ao livro 13, que foi uma espécie de edição comemorativa, maior que as outras, com um dossiê loucaço falando de todos os personagens , da trama, etc. Esse próprio dossiê vira um personagem nas edições seguintes. De qualquer forma, os caítulos de 1 a 17 foram todos publicados aqui e podem estar mais perto de você do que você imagina.
  • Apesar das teorias de conspirações malucas, a trama e a arte são muito realistas, o que vai te fazer acompanhar a história como se fosse uma série de TV muito envolvente.
  • Acho que a edição nacional é uma das melhores já publicadas no mundo todo. A qualidade da página, as cores, tudo salta e faz você mergulhar na leitura. E são relativamente fáceis de se encontrar por aí, nas comic shops nacionais.
Tô Lendodesvantagens
  • É uma leitura que exige de você. Ela tem grandes volumes de texto, muita informação, precisa de uma atenção dedicada. Então não é uma boa ideia ler na cama ou com um pouco de sono, que você vai apagar com certeza. Também não acho uma boa ler tudo de uma vez só, que a sua cabeça estoura. É o tipo de leitura pra ser feita com seu inseparável companheiro, o marcador de livros.
  • Numa primeira folheada, como eu falei, a arte espanta um pouco. Ela é meio dura, cheia de detalhes, lembra um pouco aqueles anúncios de escola técnica que vinham nas revistas de formatinho dos anos 80, lembra? Nossa, aquilo me dava vontade de dar um tiro na cabeça, nunca consegui ler um troço daqueles até o final. Mas, quando você se acostuma com a vibe do cara – e eu te garanto, você vai acostumar logo na primeira página, é só começar – você fica grudado e acompanha cada cena de ação “vovô style” como se fosse verdade!
  • Apesar te ter chegado a mim como uma indicação da minha grandessíssima amiga e ex-namorada Barbara Duvivier, não acredito que essa seja uma história para meninas. Ela é muito militar e um pouco seca, não tem muito espaço para subjetividades. Ainda que eu saiba que não se pode generalizar, eu chutaria que essa não vai ficar entre as preferidas da mulherada. Só da Barbara, que sempre foi um pouco esquisita mesmo.
  • Embora as histórias tenham arcos com finais claros, a Panini não publicou o último número aqui. Então, se você é obsessivo como eu, você vai correr atrás do livro 18, que não saiu no Brasil. Aí é que o caldo engrossa, porque achar isso por aí é muito difícil. Até na internet é difícil de fazer a busca por XIII, ela cai em coisas jurídicas, uns troços nada a ver. O meu último volume eu achei nesse site aqui http://www.cinebook.co.uk/ que entrega revistas da Inglaterra. Mas paguei relativamente caro (80 reais, incluindo frete e a conversão milionária de Libra pra Dilmas) e quando chegou, veio num formato reduzido, que não é o europeu!!! Rapaz, que raiva! Masss, como eu falei, eu sou obsessivo, e queria porque queria, então, sei lá… eu não me arrependo, mas faço a advertência!
  • Os formatos não casam. Isso pode não significar nada pra maioria das pessoas, mas pra mim, que tenho TOC, é enlouquecedor! O formato da Panini não é do mesmo tamanho que o formato europeu, que por sua vez tem um formato pra capa dura e um pra capa mole, sem contar com esse formatinho mesquinho dos p**** dos ingleses, que não existe em nenhum outro lugar na face da terra. Então, meu conselho é: compra tudo pela Panini e depois se vira. Ou então viaja pra Portugal e tenta comprar todos (do 1 ao 18) lá. (A série continua depois do 18 também, mas muda o autor, muda o desenhista e eu não li. Então sei lá. Eu considero a série “cânone” do 1 ao 18).

Bem, espero ter incutido uma novidade entre as suas predileções! É sempre um prazer compartilhar boas leituras! Se tiver alguma opinião ou dúvida, deixe aí embaixo no muro de recados que assim que puder, responderei com o maior prazer! Até a próxima!

Tô LendoAlgumas imagens!
CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance
CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance
CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance
CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance
CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance
CdC #10 - XIII Jean Van Hamme William Vance
2018-02-21T14:57:37+00:00 14 de fevereiro de 2018|30 Comentários